sábado, 28 de dezembro de 2013

Solidão

 Por onde andei esse tempo todo? Para onde estou seguindo? Tá difícil permanecer em apenas um lugar, mas nem a companhia pra retirar a saudade da ausência. Faz mais sentido quando longe, quando dói e quando não faz sentido. Apelar por atenção? de onde tirar tanta vontade de sentir vontade de se amar. Não é como se eu estivesse só, pois sempre estive rodeada de sorrisos e risadas. Como encarar que nem uma risada ou sorriso me anima mais? Se esse teu alento me trouxesse segurança quando ninguém mais trás, eu poderia parar um segundo para respirar, mas não trás. 
 É por viver em meio a mentiras escandalosas que eu notei que tudo o que era pra ser passou em meio a multidão, tola eu que não vi. Deixei tudo com o soprar do vendo, assim como te deixei ir junto. Não devia me sentir assim, como se cada "eu te amo" doesse mais que cada "eu te odeio". Me acostumei com a dor, com a perda, com a tristeza. Já nem sabia que alguém poderia sentir amor, sentir afeto, mas acho que não podem mesmo. Eu posso não saber de nada, não conseguir mais sentir-me aquecida por dentro, mas eu sei, eu sei que todos sempre escondem algo por trás de um sorriso. Sempre. Pode ser apenas uma mágoa passada ou até mesmo uma vontade de vingança.
 Todos nós erramos. Todos nós devemos errar pra aprender que cada caminho tem suas dificuldades e mudar de caminho. Eu errei. Eu erro todos os dias. Não acertei o caminho e nem tô conseguindo acertar. Estou me afundando mais e mais. Não sinto que alguém possa me salvar, nem você. Ninguém pode salvar uma alma perdida em meio ao nada e ao tudo. Não é como se você estivesse aqui. Não é como se alguém estivesse.

- Por onde andei esse tempo todo? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário